sábado, 3 de dezembro de 2011

Desvendando Diana Palmer

Postado por Lidy às 12/03/2011 09:01:00 PM
Sim, eu sei que parece loucura. Mas enquanto eu estava lendo a versão de “Outsider” publicado pela Harlequin, isto é, “Forasteiro”, eu tive que parar para pensar muito sobre o modus operandi de tia Diana Palmeirão.

Fiz uma listinha básica, lembrei de uns poucos livros que li dela e pesquisei também a maior autoridade sobre DP que encontrei: a Suelen. [Update: eu jurava que tinha colocado o link pro Romantic Girl, mas estava alucinando. Agora consertei. :D]

Então, vamos à lista:

1. Cowboys:
99,9% dos personagens de Diana Palmer são fazendeiros turrões que deviam passar a noite dormindo com os cavalos. Sim, os garanhões bípedes dão aos quadrúpedes uma corrida pelo dinheiro, e o triste é dizer que no quesito sensibilidade de mamute, os bípedes ganham. Para completar o quadro, o cowboy geralmente acumula funções, muitas vezes de prefeito, mercenário, policial, Texas Ranger, agente do FBI, chefe de polícia, comedor de biscoitos e por aí vai.
Ex: Harley Fowley (The Maverick), Cy Parks (Uma Mulher para Amar), Eb Scott (Aventura Ardente), Colby Lane (Forasteiro), J. B. Hammock (Avassalador), Alexander Cobb (O Senhor da Paixão).

2. “E toma que o filho é teu!”:
Cowboy & cowburra tiveram um casinho — que pode ter sido um casamento que acabou rápido, como o de Sarina e Colby — que resultou em um bebê. É claro que, como os personagens masculinos de DP são na grande maioria morenos de olhos escuros, e os genes de olhos e cabelos escuros são dominantes em relação a olhos azuis e cabelos loiros, o rebento que nasce tem olhos, cabelos e pele escura. De qualquer forma, cowboy e cowburra só se encontram anos depois e o primeiro pensamento de cowboy ao ver a criança é que cowburra conheceu e se apaixonou por um hispânico. Sim, porque índios americanos e espanhóis são idênticos, né?
Ex: Colby Lane (Forasteiro), Diego Laremos (Desejo Proibido).


Imagem meramente ilustrativa para embelezar o post.

3. Heroínas abnegadas:
Eu não sei qual é o problema das mocinhas de DP. Sei que é algum transtorno mental, mas tenho minhas dúvidas se já foi catalogado pelo CID-10 ou pelo DSM-IV. O que você faz quando seu sapo encantado a trata como lixo? Valendo lembrar que o lixo é mais importante, porque gera adubo para jogar nas plantações das fazendas dos cowboys. A maioria chutaria o balde e mandaria o idiota ir catar coquinho no Saara, mas as heroínas de tia DP aceitam tudo caladas. É como se a gente tivesse voltado à Idade Média, ou como se elas fossem escravas. Ou talvez elas estejam apenas com algum Complexo de Cinderela. Ou ainda — o que eu acho mais crível — sejam apenas idiotas.
Ex: Telly Maddox (Avassalador), Beatrice Tarleton (Adeus ao Amor [Próprio]), Melissa Sterling (Desejo Proibido), Gloryanne Barnes (Fearless), Christabel Gaines (Fora da Lei), Jodie Clayburn (O Senhor da Paixão).
Exceções: Gretchen Brannon (Lorde do Deserto), Dani St. Clair (Uma Estranha ao Meu Lado).

4. Te odeio, te amo:
Os personagens masculinos de Diana Palmer têm transtorno bipolar. Isso é fato. Quer dizer, qual a explicação para o fato de eles ameaçarem qualquer homem que se aproxime da mulher que eles mais odeiam no mundo?
Ex: TODOS eles.

5. Mocinhos abandonados, mocinhas mal-tratadas:
Os mocinhos de DP têm uma longa história de misoginia devido ao fato de terem sido abandonados/desprezados pela mãe. Enquanto isso, as mocinhas tiveram que viver agüentando agressões e humilhações dos pais. No caso das mães, o comportamento cruel era causado por drogas mais pesadas, como crack e cocaína, enquanto papai só bebia muito. Aliás, se a mocinha tiver/ter tido um padrasto, pode apostar que ela foi vítima de abuso sexual.
Ex: J. B. Hammock (Avassalador), Tate Winthrop (Rosa de Papel), Tippy Moore (Renegado), Cecily Peterson (Rosa de Papel), Brianne Martin (Uma Vez em Paris), Gloryanne Barnes (Fearless), Violet Hardy (A Tentação do Desejo).

Como Diana Palmer escreve:

Mocinha volta para a cidade em que nasceu e de onde foi escorraçada sem dó nem piedade, com um bebê a tiracolo e decidida a recomeçar. Alguma operação policial grande, porém secreta, que envolve diretamente o mocinho, acontece, e esse é o pontapé inicial de uma série de chutes no traseiro para que cowboy e cowburra fiquem juntos. Numa relação constante de amor e ódio, cowboy odeia, mas persegue cowburra, que invariavelmente tenta fugir, mas sempre cede. Para completar tudo, cowboy, que ama mulheres com cérebro de ostra, sempre esfrega a namorada loira-gostosa-rica-e-estúpida na cara de cowburra. Quando cowboy está prestes a admitir o que acontece, a namorada sente que está perdendo terreno, procura cowburra e conta uma grande mentira que leva cowburra a fugir. Cowboy descobre que foi um idiota — em uma página só! —, termina com a namorada vagabunda e vai atrás de cowburra, lhe dando um presente que ela queria muito, mas não tinha dinheiro para comprar. Fim.

E aí, o que vocês acharam? :D

8 comentários:

Kasinha da Nana on 3 de dezembro de 2011 21:46 disse...

Pois é essa é a Diana Palmer que nós tanto amamos, não dá para deixar de se apaixonar por seus homens as vezes um tanto ogros, mas sempre maravilhosos.

Suelen Mattos on 3 de dezembro de 2011 22:46 disse...

4. Te odeio, te amo:
Os personagens masculinos de Diana Palmer têm transtorno bipolar. Isso é fato. Quer dizer, qual a explicação para o fato de eles ameaçarem qualquer homem que se aproxime da mulher que eles mais odeiam no mundo?
Ex: TODOS eles.


kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Rachei de rir qndo cheguei nessa parte, kkkkk

Adorei, adorei, adoreeeei o post. Quem é fã de DP vai entender direitinho esse modus operandi, hehe. É incrível: as histórias seguem mais ou menos os mesmos padrões, mas cada uma delas consegue ter seu próprio charme!!!!
Por isso que eu amo os livros dessa mulher!!!!


OBS: Eita, que me senti com essa história de "maior autoridade sobre DP"... rs... Que isso, sou só uma fã...nática curiosa, hehe!!!

Saudades de vc!

Bjns!!!
=)

Lidy on 4 de dezembro de 2011 13:58 disse...

Kasinha da Nana: realmente, não se apaixonar é impossível. Apesar de eu ainda preferir o Dutch. *suspira*

Suelen: maior autoridade sim senhora. Nem eu - que sou louca - tentei botar ordem na bagunça que é a série Homens do Texas. Afff, e você tentou e conseguiu. heheheheheheh

Também tô com saudade, mas até a facul terminar - na terça!!!! - eu perdi vida social cibernética - e a real também. kkkkkkkkk

A inspiração pro item 4 veio na forma de Ted e Matt Caldwell. E olha que ainda nem li o Harley. Veremos e oremos. rs

Suelen Mattos on 4 de dezembro de 2011 17:08 disse...

Ai, o livro do Harley é ótimo. Principalmente pela Alice, que é um show sempre que aparece, hehe!!!!

Lidy on 4 de dezembro de 2011 21:17 disse...

Alice é a figura que fez uma autópsia num peru de ação de graças?

Beta on 5 de dezembro de 2011 18:07 disse...

Lidy, adorei a cowburra! Já indiquei seu post pra um monte de gente no Twitter e no Facebook! Aliás, mandei pra vc e pra Suelen Mattos o convite pra gente organizar um compêndio Diana Palmer, porque tem um monte de gente (o/ inclusive eu) confusa com tanto lançamento, tanto cowboy e tanta cowburra kkk

Suelen Mattos on 5 de dezembro de 2011 20:23 disse...

Lidy, é ela mesma!!! kkkkkk

Beta, tô dentro, hehe!!!! Vai ser um longo compêndio.... hehe!!!!

Lidy on 6 de dezembro de 2011 22:19 disse...

Beta, obrigada! Eu topo fazer esse sacrifício em nome do blog. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Esse compêndio vai ser enorme. Daqui a pouco uma idéia maluca sobre a divisão dos capítulos aparece na minha cabeça e eu envio para você. kkkkkkkkkkkkkkk Isso aconteceu com as cowburras... Eu estava bem lá falando das cowgirls quando meus neurônios gritaram "Epa!" kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Suelen, nem li o livro e já gostei dela! Aquela cena foi impagável! kkkkkkkkkkkkkk

Postar um comentário

Olá, bem-vindo(a) ao EB. Deixe seu comentário que adoraremos ler. :)

 

Emotion Box Copyright © 2011 Design by Ipietoon Blogger Template | web hosting