domingo, 18 de julho de 2010

Famílias Wherlocke e Vaughn — Hannah Howell

Postado por Lidy às 7/18/2010 11:36:00 PM
Abandonando a Escócia da Idade Média, partimos numa viagem direta rumo à Inglaterra regencial, mais precisamente, à vida das famílias Wherlocke e Vaughn, cujos membros possuem dons especiais. Infelizmente, quando os membros da família não estão procurando problemas, os problemas é que estão procurando por eles.

1. If He's Wicked
Não publicado no Brasil.
Chloe Wherlocke e Julian Kenwood.

Ela salva sua vida…
Para Chloe Wherlocke, tudo começa com uma visão — um vislumbre do futuro que prediz um terrível plano contra lorde Julian Kenwood e seu filho recém-nascido. O dom psíquico de Chloe lhe permite salvar a criança da morte certa, mas o conde permanece em grave perigo…


Mas quando ele rouba seu coração…
Julian Kenwood sabe que alguém está tentando matá-lo e suspeita que sejam as maquinações de sua esposa e do amante o que está por trás do plano. Mas Julian fica chocado quando Chloe, uma estranha cativante e de cabelos escuros, o avisa que forças sinistras estão realmente à mão — e expõe um segredo devastador que muda sua vida para sempre…

Ela vai resistir — ou se render?
Quando Chloe revela seu plano para salvar Julian, nenhum deles consegue negar a atração que aumenta a cada momento em que estão juntos. Chloe sabe que o lorde bem-nascido nunca poderá amá-la como ela o ama. Mas quando o perigo se aproxima mais, Chloe deve arriscar tudo — ou perder Julian para sempre…

2. If He's Sinful
Não publicado no Brasil.
Penelope Wherlocke e Ashton Radmoor.

Comenta-se em Londres que os membros da família Wherlocke são possuidores de certos dons inexplicáveis. Mas lorde Ashton Radmoor é cético — até encontrar uma inocente beldade deitada drogada e desamparada no quarto de um bordel. A misteriosa mulher é Penelope Wherlocke, e seu dom especial a está levando profundamente em um mundo perigoso de perfidia e traição. Ashton sabe que deve esquecê-la, mas está cada vez mais atraído no vórtex da vida dela, determinado a mantê-la segura. Mas Penelope é não é uma mulher ordinária, e nunca encontrou um homem forte o suficiente para competir com suas habilidades incomuns. Até agora…

3. If He's Wild
Não publicado no Brasil.
Alethea Vaughn Channing e Hartley Greville.

Lady Alethea Vaughn Channing é perseguida pela visão de um homem em perigo — o mesmo homem que ela vê em sonhos há anos. Ela sequer sabe seu nome, e mesmo assim sente a conexão entre eles, sabe que é a única entre ele o desastre. Mas o libertino lorde Hartley Greville é capaz de se proteger, como já provou mais de uma vez no seu perigoso trabalho como um espião da coroa. Se ele vai cumprir seu dever, terá de colocar de lado a mulher dolorosamente bela com um dom estranho. E então, quando as visões de Alethea revelam uma trama que poderia colocar crianças em perigo, Hartley não poderá ignorar o destino que os coloca juntos — ou resistir à paixão que queima entre eles.

Difícil saber qual é o melhor entre os três. Os protagonistas são como os Murray — mulheres decididas que não pedem permissão e não se curvam ao destino, homens protetores, amigos bem-intencionados e parentes intrometidos.

Os Wherlocke e os Vaughn têm sido agregados há séculos, e realizam casamentos entre as famílias desde… Sempre, pois o número de casamentos feitos com forasteiros que acabam em divórcios e filhos abandonados é enorme. Os Wherlocke/Vaughn têm todo tipo de dom — desde a uma poderosa empatia que os afasta das pessoas até ao singelo dom de cura.

Hannah Howell começou a escrevê-los para dar um tempo nos Murray, e apesar dos ingredientes familiares (amigos, mocinhos, etc.…), pode-se perceber que os estilos são diferentes. Os vilões continuam cruéis e as histórias apaixonantes, mas a quantidade de homens teimosos e com noções distorcidas de certo e errado diminuiu — graças a Deus.

No fim de “If He’s Wild” — que tem os vilões mais gente ruim que a Hannah já criou —, ela manda uma carta aos leitores e promete mais Murray (com a história de sir Simon Innes e Ilsabeth Murray Armstrong — a filha de Elspeth e Cormac, o casal de “Juramento de Amor” —, a ser lançada ainda no final de 2010) e mais Wherlocke/Vaughn — desta vez com o adorável libertino sir Argus. E talvez, num futuro próximo, o primo Modred, o empata isolado da família, ganhe um livro próprio (sim, sou o tipo de leitora que sai procurando por coadjuvantes interessantes em busca de seqüências).

Ah, conversando com a Rafa e a Mara, decidi traduzi um trechinho e postar aqui. Não sei quantos de vocês lêem minhas resenhas, e menos ainda se lembram da parte que eu digo que as crianças da Hannah são precoces demais...
Ashton encarou o menininho com cara de anjo que abrira a porta. Ele podia jurar que o berro da criança ainda ecoava pela casa. A risada mal-abafada de seus amigos dizia que ele não estava errado no que acabara de ouvir. Quando a criança berrara o nome de Penelope e a mulher berrara de volta, Ashton ainda estava chocado demais para se surpreender.
— Entrem — o menino disse. — Sou Paul, o bastardo do primo Orion. A sala é por aqui.
Seguindo o garoto, Ashton estudou atentamente o ambiente ao redor. Era uma causa espaçosa e muito limpa. A mobília da sala para onde o menino os levava eram de boa qualidade, mas um tanto desgastada. Ashton reconheceu dois dos garotos que resgataram Penelope jogando xadrez numa mesa no canto da grande sala. Os olhares jogados em sua direção não eram amigáveis, apesar de seus cumprimentos murmurados serem muito educados. Acima de sua cabeça, ele podia ouvir o que parecia um pequeno exército se mover.
— Vocês os conhecem — o menino disse e apontou para Stefan e Darius —, mas eu não conheço vocês.
Ashton apresentou seus amigos ao menino quando todos encontraram assentos na sala, o que se provou ser sofás e cadeiras surpreendentemente confortáveis. Era o tipo de cadeiras muitas vezes banidas para o sótão e substituídas por outras mais tênues e delicadas, em que um homem tinha que sentar com muito cuidado. Ele deixou de examinar o antes caro, mas agora desgastado tapete debaixo de seus pés para encontrar o pequeno querubim chamado Paul sentado na mesa entre os sofás de frente, o olhando com uma intensidade perturbadora.
— Eles realmente o viram pelado naquele bordel? — Paul perguntou com sua voz doce, seus olhos azul-escuros arregalados e cheios de inocência.
O calor de uma desacostumada vergonha aqueceu as bochechas de Ashton. Ele nem se preocupou em dar uma olhada repreensiva nos outros dois garotos, sabendo que isso não faria para sufocar o riso. Entretanto, ele olhou os amigos, que faziam um trabalho pobre em esconder sua diversão. Encarando o menininho de novo, Ashton imaginou se a criança era realmente tão doce quanto parecia. Havia um brilho nos olhos hipnotizantes da criança que fez Ashton achar que Paul poderia não entender todas as conseqüências do que estava falando, mas sabia o bastante para saber que era terrivelmente audacioso.
— Eu não estava esperando companhia naquele momento — ele disse.
— Você é mesmo tão grande quanto um cavalo?
— Paul!

13 comentários:

Mara on 19 de julho de 2010 23:06 disse...

Eita cunhada... nossa como amo ler suas resenhas... ainda mais dos livros da nossa amanda HH... e o melhor eles nem foram ainda lançados no Brasil...kkkk

Você é realmente ótima e no assunto Hannah Howell...bem desconheço alguem que conheça tão profundamente os livros da HH...

Queria agradecer o fato de você dividir conosco seus preciosos conhecimentos...

Resenha perfeita! Parabéns!
bjos
MARA MURRAY

Rogiane on 20 de julho de 2010 10:11 disse...

Oi meninas nossaaaa adorei a resenha,deu vontade de ler,pena q não foram lançado no Brasil,Parabens!!!dicas maravilhosas,estou adorandoooo.
bjinhos Ro

Lidy on 28 de julho de 2010 23:12 disse...

Cunhada, obrigada!!!

Meninas, é mais fácil os Wherlocke aparecerem aqui no Brasil antes de nosso amado Liam Cameron. Hunf!

Mara on 29 de julho de 2010 21:57 disse...

kkkkkkkkkk é cunhada... pior que você tem razão... hauhau...

bjos

Mara on 14 de janeiro de 2011 23:52 disse...

É Lidy... sua praga deu certo... os Wherlocke e Vaughn... chegaram antes do Liam... bufff...

bjos
MARA

Lidy on 15 de janeiro de 2011 01:29 disse...

Isso eu prefiro nem comentar, cunhada. :(:(:(

Agora, tomara que a NC deixe de ser cruel e traga Liam pro Brasil.

Anônimo disse...

Aiiiin eu li só umas 5 páginas de "A Intuitiva" da minha amiga e já me apaixoneiii, agora fiz minha mãe ir comprar pra me dar de natal toodos , "A Vidente", "A Suspensiva" , "A Intuitiva" , e "O Escolhido" , looouca que chegue !!! O.O

Anônimo disse...

Harry Potter não chega nem perto dos livros de Hanna Howell, Harry Potter é chatooo pra caramba e nada faz sentido, já os de Hanna são muuuito #Fooda !!

Anônimo disse...

#Amoo!

Anônimo disse...

Os livros da saga são muito bons como A Vidente, A Sensitiva e A Intuitiva. Adorei, Parabéns Hannah Howell

Unknown on 23 de julho de 2013 23:38 disse...

eu preciiiiiiiiiiiso mt ler um livro da HH sobre o Mordred ! i need! sou paixonada por ele

Thiago Verissimo on 25 de maio de 2014 17:22 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
eleonai naara on 25 de maio de 2014 17:24 disse...

fala sério... eu quero ver o livro sobre o Modred.. pq ela não fez ainda?? kkk
viciada aqui o/

Postar um comentário

Olá, bem-vindo(a) ao EB. Deixe seu comentário que adoraremos ler. :)

 

Emotion Box Copyright © 2011 Design by Ipietoon Blogger Template | web hosting